+

Nascido na mística e ancestral terra de Stonehenge, Andrew viu o despertar da psicodelia do ReinoUnido com os primeiros crop circles que apareciam em Wiltshire, ao lado de sua tipi. Era o momento do nascimento do techno que surgia com Acid House nos grandes centros e se desdobrava  para um espaço underground como o "Castle Morton Festival”, onde milhares de ravers iniciaram uma grande festa ilegal de cinco dias.Seu trabalho artístico começa na Itália com temas políticos e robóticos influenciado por uma tecnovilla anarquista de escultores de carro de soldagem chamada “Mutoid Waste Company”, origem das primeiras instalações automotivas de festivais como o Burning Man.Surpreso com a experiência extática coletiva causada por sons como: Spiral Tribe, D.I.Y. e Circus Warp, iniciou uma jornada pela Europa e Oriente Médio absorvendo diversos tipos de linguagem. Passando por Israel e finalmente Goa em 1994, encantado pelo movimento libertário do psytrance ele começa a pintar seus primeiros backdrops para festas.Em 1997 ele chega no Rio de Janeiro, onde a mata atlântica e a experiência com  DMT o faz iniciar uma série de painéis de mandalas e temas diversos da cultura neo-xamânica, onde se tornou pioneiro da cenografia de festivais como: Trancefusion, Euphoria e Raveom.