Eduardo Petroni

O trabalho de David Elshout é caracterizado pela liberdade expressiva e despretensiosa em falar sobre temas polêmicos explorando a estética de histórias em quadrinhos e pop art. Com uma certa rebeldia estética e social, ele brinca principalmente com estereótipos de gênero e ícones místicos em técnicas de pintura contemporânea. A Exposição “Cosmic Pinball” apresenta obras de 19 anos de viagens transgredindo fronteiras pela Europa, Vietnã, Indonésia, Japão, Índia e Brasil. Essa exibição revela o comprometimento do artista em compartilhar impressões cosmopolitas, onde teve a oportunidade de conhecer a riqueza de diversas culturas pelo mundo e explorar temas como: feminismo, urbanização e xamanismo. Sua obra revela diversos valores culturais em percurso de vida de contextos contrastantes na busca de aperfeiçoamento em serigrafia, gravura e pintura.

+

+

Com esta atitude curiosa, ele parece querer investir em aprender com todas as visoes de mundo e criar parcerias artísticas em coletivos de arte com a participação de grandes artistas como as gêmeas Eru Arizono Hamadaraka e Emu Hamadaraka Arizono. Em suas observações no Brasil, David se inspirou na experiência da antiga visão de mundo enraizada da região do Xingu, onde desenvolveu uma série de trabalhos retratando a cultura xamânica.  À convite da tribo Yawalapiti, ele realizou um trabalho em Nanquim registrando o Kuarup, tradicional ritual de homenagem aos mortes ilustres celebrado pelos povos indígenas.

@malavannya